5 formas de usar o celular na sala de aula

No post anterior eu escrevi o quanto odeio ter que lutar contra o uso do celular na sala de aula, ao invés de usá-lo a meu favor. Pensei várias ideias que poderiam ser viáveis e que talvez a gente possa adaptar para a realidade de cada escola.


1. Pesquisas instantâneas


Vamos admitir (pelo menos os que são como eu, que não desgrudo do meu celular). Quando eu estou numa reunião ou palestra, se não for interessante eu viajo na internet, pra longe daquele universo, esperando que tudo acabe logo. Se for interessante, eu uso também meu celular pra pesquisar mais sobre o assunto, pesquisar um livro citado pelo palestrante, um autor, um evento, uma forma de disseminar aquele conhecimento. Por que com nossos alunos precisa ser diferente? Fale sobre um assunto e deixe no ar um questionamento, instigando a turma a pesquisar e ensinando-os a buscar fontes confiáveis. E os que não têm celular? Neste caso, a turma pode trabalhar em pequenos grupos, sendo que cada um deles deve ter um aparelho. A questão que pode entravar aqui é a internet. Mas para mecanismos de pesquisa, sem vídeos, o tráfego de dados é bem reduzido, e os alunos não gastariam tanto de seus créditos. As escolas deveriam dispor de uma internet (que poderia ser ligada e desligada) apenas para uso pedagógico. Mas isso é apenas um sonho...


2. Literatura digital


Lembra da nossa época de estudante em que haviam livros paradidáticos? Quem leciona na escola pública sente saudades deles e a tristeza de não poder proporcionar esta prática aos nossos alunos. Por que não lançar mão de outro portador de texto? As opções de audiobooks e ebooks são inúmeras e a turma pode até mesmo montar um clube do livro utilizando o próprio celular. E os que não têm aparelhos? Fica mais fácil atender com o livro físico este número menor de alunos.

3. Aplicativos educativos


São muitas opções, para várias disciplinas, de várias áreas. Às vezes o app nem foi feito para ser usado na escola, mas daria uma excelente aula de Geografia, utilizando o mapa, por exemplo. Ou um excelente treino de raciocínio lógico utilizando um jogo. Não dá pra enumerar todos, mas há sites e blogs que reunem vários por categoria, área do conhecimento ou demanda. Aqui alguns:

https://www.ufrgs.br/soft-livre-edu/wiki/Software_Educacional_Livre_para_Dispositivos_M%C3%B3veis_-_Tabela_Din%C3%A2mica

https://airmore.com/pt/aplicativos-educacionais-de-2017.html

http://wikicomo.xyz/andride/306-7-melhores-aplicativos-educacionais-para-android.html

E por aí vai.

4. Rede Social


Criar uma fanpage, um grupo no Facebook, uma página no Instagram ou um grupo de Whatsapp são tarefas quase tão fáceis quanto levar a abelhinha até a flor no Jardim de Infância. Com objetivos bem estabelecidos, é possível uma troca enorme de experiências e conhecimentos entre os professores e os alunos, além da integração social dos envolvidos. São ferramentas muito simples que podem render muito pano pra manga. Por exemplo, em vez de mandar os alunos se reunirem em grupo pra montar um cartaz sobre a prevenção do suicídio, por exemplo, por que não criar uma campanha através de imagens ou textos para o Facebook, incentivando as curtidas e compartilhamentos? Por que não fazer um concurso de redação e avaliar pelo número de curtidas? Use a criatividade e ganhe o mundo!

5. Acesso a vários tipos de arte


Na palma de sua mão cabe o maior museu do mundo. Você pode ter acesso a pinturas, esculturas, música, teatro e poesia de todo o tipo. Claro que ao vivo é melhor! Mas se é possível apreciar a arte através de uma tela de smartphone, por que perder tempo? Viaje com seus alunos pela história da arte, trabalhe o pensamento crítico, a estética, tudo o que fica tão esquecido no modelo de escola em que vivemos hoje em dia.

Por enquanto é isso! Você certamente irá pensar outras maneiras de trazer o celular para o seu lado em vez de ficar esbravejando, confiscando e se estressando.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vamos lá...

Reforma, gripe e fim de ano.