Vida que segue!


Seis dias depois da decisão tomada, venho dizer como eu estou: Maravilhosa, há muito não me sinto assim! Dentro de mim mudou muita coisa. Meus horizontes se ampliaram. Passei a fazer planos sem a presença de um bebê. Passei a ver vantagem em ter um filho crescidinho. Não que seja ruim ter outro bebê, pelo contrário. Mas passei a enxergar que minha vida pode ser muito feliz, de acordo com a vontade de Deus. E, às vezes, me pego pensando: Será que eu desistindo de ser tentante, vou engravidar naturalmente? NÃO SEI! E esse não saber não me incomoda nem um pouco. Pelo contrário, gosto de viver sem querer ter o controle sobre tudo.

Dei rumo ao berço desmontado do Mateus, estou estudando para a seleção do mestrado, decidi viajar em janeiro e passar a maior parte do mês fora. Gastaria uma boa grana com o tratamento, e resolvi usar essa grana viajando com minha família. Ela não está sobrando, mas já que ia gastar, gasto de outra forma. Tive vontade até de alisar meus cabelos de novo, mas não vou fazer por dois motivos: Fico gorda de cabelo liso (rsrs) e estou gostando da personalidade dos meus cachos.

 Quero redecorar minha casa. Já tive várias ideias para o terceiro quarto que, até semana passada, só acumulava coisas, esperando um possível novo morador. Agora quero fazer um quarto de hóspedes com um sofá-cama e uma TV, para a gente poder relaxar lá e assistir TV de vez em quando, e teríamos mais espaço para receber visitantes.

Já não sinto mais raiva de quem se lamenta por ter filhos, ou por ter mais filhos do que gostaria. Não acho certo reclamar, afinal filhos são um presente de Deus, mas não sinto mais raiva. Procuro compreender estas pessoas. Afinal, maternidade não é um conto de fadas.

Ainda tenho o desejo de ter um positivo. Assim, uma surpresa. A menstruação atrasar, mesmo eu tendo tomado o hormônio direitinho, e uns 5 dias depois do atraso eu faria um teste e daria positivo. Seria legal. Mas este não é mais o motor da minha vida.

Aí vocês devem estar perguntando: Se você desistiu mesmo, por que continua falando sobre o assunto? É que, gente, esta mudança foi pra mim tão grande e emocionante quanto um positivo. Preciso viver, comemorar e dizer aos quatro cantos: estou livre! Quero trabalhar, estudar, namorar, lamber minha cria. Mateus está mais feliz também, mais seguro, mais carinhoso. Como eu disse num comentário ao post anterior, nunca tive tanta certeza de estar tomando a decisão certa.

Agora preciso ir. Vou descansar um pouco e depois estudar para adaptar meu projeto à seleção deste ano. Muitíssimo obrigada a todas as que comentaram. Vocês estão me ajudando a consolidar esta decisão. Deus abençoe suas vidas!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vamos lá...

Reforma, gripe e fim de ano.