Dois pesos, duas medidas


Quando se fala em educação tem sempre gente dizendo o que é certo ou errado. Sempre tem profissionais pra dar testemunho de sua reputação cristalina nos seus trocentos anos de carreira.


Acontece, broder, que aqui embaixo a lei é diferente. A pessoa é pura e sem mancha até a página dois. Nessa hora eu prefiro os professores "vida loka" que se assumem enrolados, desbocados e descontrolados do que aqueles "super comprometidos com seus alunos", mas, na hora do vamos ver, "farinha pouca, meu pirão primeiro". Do que eu estou falando?


Tô falando de professores que acham um absurdo suas turmas serem dispensadas quando eles faltam mas jamais abrem mão de um dia sem aluno. Ou de pedagogos/gestores que acham um absurdo o professor faltar sem dar satisfação mas "Deus me livre, dispensa essa turma horrorosa, se a gente ficar com a turma os professores vão ficar mal acostumados". Ou de colegas que fazem greve e, na hora de repor aulas é salve-se quem puder.


Sabe, eu não sou santa. Sou educadora. Educar é meu ganha-pão e minha escolha. Mas admito que dia sem criança na escola é um dia mais tranquilo. Admito que estou sempre querendo férias. Admito que ter saído de sala de aula foi providencial no momento que foi. Mas antes de qualquer debate, antes de qualquer julgamento aos colegas, antes de tudo precisamos baixar a bola e enxergar os colegas como seres não perfeitos nem divinos. Se é pra lutar por educação de qualidade, precisamos de um bom exame de consciência e de um "Semancol". Dois pesos, duas medidas não dá. E isso é só o começo da conversa.

Comentários


oie Aline, gostei muito deste novo estilo q está seu blog, te acompanhava desde anos passados lá no EF. Muito sucesso com esse novo projeto, sou pedagoga tbm e estou procurando variedades inovadoras p minha sala de aula!!! abraços e estarei sempre aqui!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Vamos lá...

Reforma, gripe e fim de ano.