Muito tia e fim do facebook

Dois assuntos totalmente diferentes no mesmo post. Não é preguiça de postar, é que eu quero falar tudo agora, senão vou desanimar de novo. E vou começar pelo facebook.
Eu criei meu facebook acho que no início desse ano, mais por causa dos amigos, porque já tinha tentado antes, não tinha gostado, mas a minha irmã dizia que era muito melhor do que o orkut e tal, então entrei. E dali não saí mais. Realmente é interessante, saber o que as pessoas estão fazendo o tempo todo, e desabafar um pouco quando me sentia só. Esse ano me senti só muitas vezes, durante o trabalho, e o facebook era como se fosse uma pessoa. Ou várias pessoas numa só.

Lá pra sei lá, julho ou agosto, eu coloquei internet no celular, aí ferrou de vez. Eu acessava o facebook de 2 em 2 minutos, reclamava das pessoas, curtia, comentava, muitas vezes só olhava... e daí foram meses e meses. Um roubo de celular no meio disso, e eu parei um pouco de acessar na rua ou no ônibus. Mas mesmo assim era muito.

Sentia que aquilo era um vício, mas não admitia nem pra mim mesma. Sentia que marido e filho estavam ficando sem mim e me criticavam em silêncio. Eu não tenho 110 amigos. Tenho 10, se for muito sortuda. E aquelas pessoas todas estavam fazendo parte e tomando tempo demais da minha vida. Já tinha pensado em excluir minha conta, uma vez que vi uma discussão virtual entre minhas duas irmãs. Mas não tive coragem. Até que domingo, participei de um retiro para casais.

Lá, ouvi muitas coisas que precisava. E ouvi sobre vício de bebida, uma cura e uma mãe despejando na pia uma garrafa de praianinha. Riam, eu sei que é cômico, mas eu na hora me imaginei excluindo minha conta do face. E no outro dia, tomei coragem e excluí. Segunda-feira agora, 4 dias atrás. Update: crise de abstinência. Não é fácil como eu pensei. Mas serei forte e não vou voltar atrás agora hehehe...Sinceramente, existe vida fora do facebook. Sinto falta? um pouquinho, mas não posso voltar atrás. Tem muito mais coisas importantes na minha vida. Por exemplo...

Não sei se eu já havia comentado aqui que minha irmã mais velha, a Daniela, está grávida. Ficamos todos muito felizes, ela tem um filho de 7 anos e estava tentando há 5 meses engravidar. Hoje, está com 14 semanas e está indo tudo muito bem.

Então, no sábado, minha mãe me dá a notícia: Minha irmã mais nova, a Carla, também está grávida, esta tem 24 anos e é solteira. Como é solteira, a gente não recebe a notícia da mesma forma. Eu precisei de um tempo para refletir e digerir a notícia. Chorei durante todo o retiro, não de decepção ou tristeza, mas de emoção e preocupação ao mesmo tempo. No início foi tenso, mas depois que todos da família ficaram sabendo, e demos o apoio necessário a ela, tudo se ajeitou e agora estou muito feliz e na expectativa. Está de 7 semanas. E EU SOU MUITO TIA! Minha vontade era engravidar também, mas além de não querer infartar meus pais, estou na seleção do mestrado, e se eu passar, vou ter que adiar por mais dois anos. Mas a gente não sabe de nada, quem sabe é Deus.

No mais tudo bem, ontem fizemos um churrasco para amigos aqui em casa, foi bem bacana, batemos papo até tarde. E meu crisântemo agora enfeita minha mesinha de centro que, desde que tive Mateus, nunca teve enfeite. Está florescendo mais ainda, lindo como nunca.

Beijos a todos e boa noite!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vamos lá...

Reforma, gripe e fim de ano.