Uso saudável das redes sociais


Redes sociais são perigosas. Tenho visto muita gente se perdido nelas. Não sei por qual motivo, mas elas têm o poder de nos envolver de tal forma que perdemos tempo às vezes sem nada pra dizer ou ver mesmo. Já olhei todas as atualizações, já disse tudo o que tinha de dizer, mas continuo parada olhando...

Acontece o seguinte: é uma coisa de massa. Um falou, todo mundo fala. Um aplaudiu, todo mundo aplaude. Um vaiou, todo mundo vaia. É um programa de auditório, mais ou menos. Ganha quem criar a frase de mais efeito e for aplaudido primeiro. Ganha até outra pessoa criar uma frase de mais efeito ainda, criticando a primeira. E assim vai.

Tenho visto também pessoas falarem e mostrarem coisas que não falam nem mostram na vida real. Mulheres casadas, com filhos, mostrando um comportamento no mínimo estranho no Facebook. Então eu começo a dar razão pra minha mãe. Quando ela fica sabendo de umas histórias loucas que ocorrem na rede, se irrita profundamente e diz: "Eu odeio a internet. Eu acho que isso é coisa de gente desocupada. O Facebook, então, não presta mesmo." Será?

Bem, eu estou no orkut (quase não entro mais), no Twitter e no Facebook. Agora, com internet no celular, já nem preciso mais ligar o computador. Faço tudo pelo celular, raramente eu ligo meu pc pra fazer e ver as atualizações. Não sei se gosto, mas sinto necessidade de fazer isso diariamente, várias vezes. Há coisas boas? Claro, através do Face, fico em contato diário com vários amigos verdadeiros, troco informações, dou risada, não perco o contato. Atraves do Twitter, tenho contato imediato com pessoas que talvez não teria se não fosse este. Comunicadores de rádio, religiosos, etc. Tenho ainda poucos seguidores, mas este não é meu objetivo principal. É me sentir ouvida (ou melhor, lida) pelas pessoas que quero. As redes sociais são uma ferramenta de grande valia.

Pra mim, usar as redes sociais de forma saudável quer dizer ser como é na vida real. Se você não costuma dar patadas a esmo no seu cotidiano (nunca mais devo usar o dia-a-dia, porque não sei se tem hífen ou não), não deve dar na internet. Se você consegue ter paciência com gente inconveniente na vida real, tem que ter na internet também. Se você não aguenta mais ler as balelas de outra pessoa, ou receber recadinhos automáticos, ou ser convidado para aplicativos, simplesmente ignore e não a aceite na próxima rede social. Melhor assim. E controlar o tempo, minha gente. Porque realmente se a gente não tomar conta, se perde e, quando repara, o tempo passou e você não curtiu sua vida real.

Resolvi escrever esse texto porque percebi que muita gente está se expondo erradamente, principalmente no Face. Percebi também que dei importância exagerada a palavras que não tinham tanta importância assim na minha vida. São só palavras numa tela, e tem muita gente e coisas que fazem realmente a diferença pra mim. E também muitas vezes, deixei de fazer coisas importantes porque estava na net. Agora sei controlar melhor isso.

Vou deixar de usar as redes? Acho que não. Mas sou uma mãe, profissional, mulher e serva que está aprendendo a equilibrar a vida real e a virtual. Meu filho, meu marido, minha família, meu trabalho e meu Deus são reais. E é isso que importa.

Um forte abraço a todos, e estou de volta!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vamos lá...

Reforma, gripe e fim de ano.