Ctrl C - Ctrl V

Eu sei que essa prática é abominada no mundo dos blogs, mas não resisto. Como meu cérebro anda ocupado demais, mas ainda tenho um tempinho pra navegar, vou colar aqui um texto que encontrei no Desbagunçando.

"Preste atenção em Você!

Cuidamos de todo mundo, nos preocupamos com tudo e nos esquecemos!

Este alerta está colocado na porta de um espaço terapêutico.


O resfriado escorre quando o corpo não chora.
A dor de garganta
entope quando não é possível comunicar as aflições.
O estômago
arde quando as raivas não conseguem sair.
O diabetes
invade quando a solidão dói.
O corpo engorda
quando a insatisfação aperta.
A dor de cabeça
deprime quando as duvidas aumentam.
O coração
desiste quando o sentido da vida parece terminar.
A alergia
aparece quando o perfeccionismo fica intolerável.
As unhas
quebram quando as defesas ficam ameaçadas.

O peito aperta quando o orgulho escraviza
O coração enfarta
quando chega a ingratidão.
A pressão sobe
quando o medo aprisiona.
As neuroses
paralisam quando a"criança interna" tiraniza.
A febre esquenta
quando as defesas detonam as fronteiras da imunidade."

Adorei este texto, e fiz questão de compartilhar com meus leitores. Beijocas a todas!

Comentários

Aí doeu lá no fundo. Será que são verdades relativas ou mentiras sinceras? Porque se forem verdades é muito ruim pensar que a nossa mãe pode sofrer de solidão e que isso dói nela. Quando lí este post me senti uma inútil. Principalmente porque a minha criança interna me acusou. E eu fique aqui pensando porque que a gente anda tão insatisfeita assim. Aí você me pergunta "A gente quem cara pálida?". Só faltou aí e eu andei pesquisando que a pressão cai quando não nos sentimos amados.

Beijos. Daniela.

Postagens mais visitadas deste blog

Vamos lá...

Reforma, gripe e fim de ano.