Dia dos Namorados, nós dois abraçados a sós...


Bem, a sós é meio difícil. Ainda mais que Mateus está gripado, e bem difícil de dormir... mas vamos lá.

Abri esse post pra falar sobre relacionamento. E, não me matem, eu não passo o 12 de junho sozinha desde 1996. É maravilhoso ter um namorado. E mais maravilhoso ainda vê-lo todo dia, dormir e acordar com ele. Hoje, depois de 14 anos juntos, ainda nos olhamos com aquele olhar apaixonado.

Não tem receita pra continuar sendo namorado e namorada da mesma pessoa por 14 anos. Deixando claro que nos casamos com 4 anos de namoro, eu não sou adepta de namoros longuíssimos. Se eu tivesse só namorando até hoje, não estaria, lógico. Mas voltando, estou falando de estar enamorada, em estado de amor. Acho que parte da receita é saber ouvir. Ouvir, calar, processar a informação em silêncio... para então poder dar sua opinião. Vejo muitos casais batendo boca por motivos diversos, mas o que me chama atenção é: ninguém está ouvindo! os dois falam sem parar e parece que só ouvem coisas para usar contra o outro depois: "Mas você falou isso, isso e isso..."

No meu relacionamento, muitas vezes eu fiquei calada. Me entendam: não estou falando de ser sombra de ninguém, mas tem horas que começar uma discussão não vai fazer sua relação crescer. a discussão vai virar bate-boca e vai fazer mal pros dois. Problemas precisam ser resolvidos, mas pense bem antes de falar: seja sábia, fale com prudência. Leve em consideração o amor que sentem um pelo outro, e se não vai magoar o outro à toa. Converse com inteligência e respeito. Seja adulta. Bicos e birra não são um charme, são um saco.

E o ciúme? o zelo pela sua relação deve ser racional. Uma coisa é se sentir incomodada com a amizade do seu marido por uma outra mulher (aaaaarrrgggghhh!). Outra coisa é avaliar se essa amizade realmente leva perigo ao seu relacionamento ou se é só uma implicância sua. Se seu marido tem uma atitude que te desagrada, primeiro faça-o colocar-se em teu lugar. "Você não sentiria ciúme se eu tivesse tal atitude com um amigo?" Muitas vezes só essa pergunta já faz com que ele mude de atitude. Se não, você precisa ser clara: "não gosto que você chame fulana pelo apelido." ser clara é fundamental, ficar criando enigmas não é útil. Nem ficar de bico por uma coisa que pra ele não foi por mal. Se você não falar, ele não vai se tocar. Eles não entendem, simplesmente. Não é por mal, é da natureza masculina.

Carinho não é só com as mãos. Palavras também são ótimas. Eu costumo dizer que minha primeira zona erógena é o ouvido. E muitas vezes não é só falar sacanagem. É falar com carinho pelo telefone, jogar conversa fora, esquecer um pouco da "burocracia" de ser casado. Elogios também são ótimos afrodisíacos. Pode falar o que ele ou ela está cansada de saber, tipo: ninguém faz uma macarronada como a sua... ou seu sorriso é lindo. Fazer uma gentileza inesperada, como ir buscar de carro no serviço, ou servir o prato dele é muito bom também.

Estou achando esse post meio blablabla, mas é o que eu senti vontade de dizer nesse dia. Não perca tempo brigando, ame, ame muito e zele pelo seu amor. "Cuide bem do seu amor, seja quem for".

Comentários

Mamãe Aline disse…
Queria ter essa sabedoria que vc tem....

Postagens mais visitadas deste blog

Vamos lá...

Reforma, gripe e fim de ano.