Abençoada

Quero dizer aqui que sou abençoada. Tenho dois empregos bons, trabalho na carreira que escolhi, casei com o homem que amo, venci a infertilidade e tenho um filho maravilhoso. Por que estou escrevendo isso?

Porque EU preciso ler isso. Sabe, quando a gente começa a entrar num círculo vicioso de murmuração? Então tudo começa a ficar obscuro, como uma lente negra que transforma tudo em penumbra. São as notícias de violência, o fracasso no trabalho, os pequenos aborrecimentos da vida cotidiana, a crise financeira. Isso nos impede de enxergar toda a luz que Deus derrama sobre nós o tempo todo. E, veja bem, entendam a gravidade do que vou escrever aqui, agora: Isso nos leva para o abismo.

A vida é um dom de Deus. Ela nos foi dada conforme seus planos, e o que nós fazemos com ela é que define se seremos salvos ou não. Vejam, eu tenho um belíssimo testemunho de vida: Meu matrimônio e meu filho são os maiores presentes que o Senhor me deu. Sem contar a família que me gerou, que tem problemas como todas as outras, mas que é feita de pessoas honestas, trabalhadoras e que se amam. Se eu ignoro tudo isso e escondo todo esse amor, distribuindo apeas murmuração e maledicência, para que eu sirvo? Estão entendendo?

Eu sonhava com a educação, me apaixonei pelo ofício de educar. Talvez por eu ser uma menina doce, inteligente, agradável, modesta e as professoras era muito carinhosas comigo. Eu quis me espelhar em todo aquele carinho, e ser professora também. Talvez tenha sido o motivo errado que me levou a escolher minha profissão, mas aqui estou eu, professora e orientadora pedagógica. Tenho nas mãos a responsabilidade de fazer a diferença na vida de crianças, os pequeninos de Jesus. E não sei se eu sei ensinar bem (eu sempre acho que não), mas há alguma coisa que transmiti a meus alunos, pois mesmo aqueles com quem eu gritei e esbravejei me encontram e me abraçam. Outro dia ensinei uma menina a amarrar seus cadarços, e no dia seguinte ela me informou que havia conseguido fazê-lo sozinha em casa, e que sua mãe ficara surpresa. Fiquei feliz! Não sei se serei sua melhor professora, mas sei que ela se lembrará de quem a ensinou a amarrar os sapatos.

Mas fico pensando onde estou errando, a lente escura da murmuração só me deixa ver fracassos. Pressões do sistema, alunos desinteressados, famílias ausentes. Falta de respeito, falta de educação, falta de amor. Isso embaça minha visão e me trava. E eu não consigo seguir adiante dessa forma. Pra que eu sirvo, então?

Minha familia é maravilhosa, nos amamos imensamente. Meu filho é um milagre vivo, e meu marido, não é pra fazer propaganda não, mas é o melhor do mundo. E em vez de irradiar esse amor para os outros, o escondo dentro de casa e só consigo ver a destruição das famílias do mundo. Pra que eu sirvo, então?

Gente, vamos acordar. Vamos ser luz e sal. Vamos levar esperança. Deus nos ama e nos deu essa vida, só essa. Enquanto estivermos aqui, vamos irradiar o amor de Deus. Porque eu quero viver junto de Deus para sempre.

Beijos, amo vocês.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vamos lá...

Reforma, gripe e fim de ano.