Não acredito que cresci!

Não acredito que cresci!
Os cientistas dizem que o ser humano é o animal que tem a maior infância da natureza. E, quer saber? Eu acho pouco. É sério, pra mim ser criança por 12, 13, 14 anos é muito pouco tempo. Eu gostaria de ser criança por mais tempo, juro. Não e justo de repente ter 30 anos e ter que tomar decisões importantes.
É claro que tem coisas da vida adulta que são bem legais. Mas as outras são muito chatas! Eu fico pensando... sou adulta mesmo? Olha só o emprego que eu tenho, olha só o filho que saiu de dentro de mim, olha só a casa que compramos! Como conseguimos? Sim, me orgulho de ter feito coisas adultas sem a ajuda da minha mãe.
Mas então vem a parte de cuidar destas conquistas. “ah, não quero ir trabalhar hoje, estou com muito sono!” e, não, eu simplesmente não posso ficar na cama e dormir. Tenho responsabilidades. “ah, eu não vou mesmo dar banho nesse garoto agora”, ou “que nojo, quem vai limpar todo esse vômito?” Sim, por mais que eu fique com preguiça sou eu que terei que cuidar dele, afinal ele está curtindo sua infância, é a hora dele! Ele não nasce independente, afinal eu estou justamente escrevendo esse texto falando sobre a curta infância do ser humano. E a casa? Minha casa parece um quarto de adolescente, você já viu? Sim, muita coisa fora do lugar, vou citar só as que estou enxergando agora: muito brinquedo no chão, acetona, caderno, peças de roupa em cima da estante, uma sacola plástica no meio do chão, uma árvore de natal que deveria ser desmontada há 5 dias... e toda a casa é assim. Ainda bem que meu marido faz de tudo em casa, mas não dá. Preciso virar uma dona de casa adulta.(contimua...)

Comentários

alessandra disse…
MIGUUUUUXAAAAAAAAAAAAAAAAA
EU VOU AÍ TE AJUDAR
SOU UM FURACÃO
K K K K K K K K K K K

Postagens mais visitadas deste blog

Vamos lá...

Reforma, gripe e fim de ano.