Trabalho...


No último post falei sobre pessoas all time na defensiva. Que tudo é implicância, é discriminação, blablabla...

Pois é, então, voltei pro trabalho aqui no Rio, né...

Aí fui participar de mais uma reunião... Caraca, gente, como me fez bem esses dois anos fora de sala de aula, minha mente arejou muito! Eu não consigo me incorporar mais nessas reuniões, fico olhando como se estivesse assistindo televisão. Claro, tv interativa, porque vez ou outra meto meu bedelho. Mas uma coisa me intriga:
Eu adoro sentar com as amigas pra falar sacanagem, futilidade, enfim, pra esvaziar o cérebro um pouquinho, que anda cheio demais. Mas quem dá duro na sala de aula todo santo dia vai matando a parte de arrefecimento do cérebro, então ele esquenta e ferve toda vez que precisa subir uma ladeira... as conversas que vejo nas salas de professores são: aluno não quer nada, família não ajuda, dinheiro não dá... sabe, precisamos relaxar!!! mas como relaxar com tantas cobranças e sem condições reais de trabalho? Ai, meu Deus, já estou aqui reclamando também...

Se está tudo errado, é hora de corrigir o que é possível com nossas próprias mãos... e o que não dá pra corrigir, faça-me o favor, pula pra outra!!! Não aguento mais ver reuniões se transformarem em campos de batalha, que saco!!! Todos têm razão, pô! Mas cada um só quer ver o seu lado... para o professor, tudo é culpa da direção e equipe, que não ajuda em nada e só sabe cobrar. Já para a equipe, tudo é culpa do professor, que só sabe reclamar da vida e não quer mudar, não quer inovar. Aí eu canto aquela musiquinha(chaaata...) "Vamos dar as mãos, vamos dar as mãos, vamos lá..." Se a gente não começar a trabalhar do mesmo lado, não vai dar certo...

Minha intenção nesse post não era dar nenhuma lição de vida, nada disso... é só tentar acabar com essa bomba relógio que está dentro de todos nós, que basta um olhar, uma palavra, que é BUMMMM!!!!! sabe o que que é? é que eu passei cada coisa desde que decidi ser mãe, que nada, nadinha mesmo é tragédia pra mim. Aliás tem uma excelente notícia no blog do Mateus... falem sério, depois de conhecer uma história dessas vcs acham que é possível se melindrar numa simples reunião de trabalho???

Ah, dá um tempo, tá? para com essa frescura.

Comentários

Ana Laura disse…
É, amiga, vc tem toda razão. Diante de tudo o que vc já passou desde o momento em que decidiu ser mãe, uma discussãozinha boba na sala dos professores ou uma reclamação banal acerca do cotidiano do trabalho, é considerado "café pequeno" se comparado às lutas que vc, seu esposo, e principalmente, o Mateus, travaram para que o pequeno estivesse hoje ao seu lado. Às vezes, amiga, as pessoas esquecem de olhar o problema ou as dificuldades do outro, pq vivem num mundo egocêntrico, onde apenas o SEU dia-a-dia é o mais cansativo, o SEU trabalho é o mais problemático. Se essas pessoas parecem um minuto para analisar a vida do seu próximo, talvez fizessem questão de silenciar, ao invés de tornarem suas vidas mais complicadas do que já são. Beijos!
Ana Laura disse…
*Ops, quis dizer se essas pessoas parassem...Desculpe, amiga, é o sono...rsrs. Beijos!
Regiane disse…
Fala sério né?Vc com certeza tira todas essas coisas de letra.Afinal só vc sabe o quanto lutou para chegar até aqui ao lado seu pequeno!!!Amei o novo visual do seu blog.Bom final de semana.Beijos.

Postagens mais visitadas deste blog

Vamos lá...

Reforma, gripe e fim de ano.